Olá, pessoal! H oje, 12 de junho, para comemorarmos o Dia dos Namorados, coloquei o livro Fênix: A morte não é o fim de tudo para downlo...

Olá, pessoal!
Hoje, 12 de junho, para comemorarmos o Dia dos Namorados, coloquei o livro Fênix: A morte não é o fim de tudo para download gratuito na Amazon! Se você não namora, bem, sinta-se abraçado(a).
Deixe-se queimar por muito amor e amizade, mas cuidado com as intrigas, mistérios e as mais diferentes emoções nesse romance fantástico e quente.


Clique na imagem para ser redirecionado(a) à página de download

Laura, Tony, Selene e Duda são amigos de anos e, para selar esta amizade, fazem algo que a simbolize: a tatuagem de uma fênix e um pacto de sangue. Entretanto, após seu pequeno ritual, um deles desaparece e coisas estranhas passam a acontecer. Uma força oculta tentará de todas as formas levá-los à queda, porém, devem seguir “a luz” e encontrar um mago para escaparem e definirem seus destinos.
Para isso, enfrentarão o passado banhado em mistérios e surpresas, a amizade cercada pelas dúvidas e divergências e o amor embebido em prazer e sofrimento.
Serão eles capazes de suportar seus próprios caminhos?

Fique sempre ligado nas notícias relacionadas ao livro e ao meu universo literário. Curta a página de Fênix no Facebook e minha página de autor! Curta, compartilhe, comente. Sua opinião e apoio é extremamente importante!

Forte abraço,
Elton Moraes

Existe uma gama de coisas que deixamos para trás. Eu, por exemplo, quase deixei de escrever esse texto que vocês estão lendo. Não porqu...


Existe uma gama de coisas que deixamos para trás. Eu, por exemplo, quase deixei de escrever esse texto que vocês estão lendo. Não porque eu queria, mas porque não sabia por onde começar. Muitas vezes não sabemos como começar ou prosseguir com alguma coisa, e acabamos por deixá-la para trás. É como o slogan de Entre Escolhas e Consequências: “a vida é feita de sacrifícios”, e muitas vezes sacrificamos coisas, sonhos, desejos.
E a vida.
Quando digo que sacrificamos a vida, não me refiro a um ritual de magia negra — se bem que, né, vai saber —, mas sim sobre os diversos caminhos que se revelam à nossa frente, bifurcações essas que nos forçam a escolher um lado. Por vezes, esse lado escolhido, não era o desejado, e o que você decidiu dar uma chance pode se mostrar algo que, lentamente, vai matando você de dentro para fora.
Só que não existe fórmula para descobrir o que é realmente favorável ou não, porém, ao colocar nossas escolhas em uma balança, é possível ter uma ideia do que pode acontecer. Ou ao menos imaginar. Nem tudo é certo — eu diria que nada é —, e é isso que nos força a, de vez em quando, atirar uma flecha no alvo errado. Você pensa que algo poderá ser ruim, mas ainda assim dá uma chance, torcendo para que esteja errado, por ter alguém que você ama envolvido. Porém, do outro lado da balança, há outro alguém que você ama, mas que te traz a ideia de incerteza para o futuro, afinal, relações começam, se desenrolam e acabam um dia. O problema é quando não estamos falando apenas disso, mas, principalmente, de sua sanidade.
Sanidade, o que é você, meu bem?
Como qualquer pessoa, eu fiz escolhas que me definiram, me transformaram e me destruíram (eu juro que ainda não li Divergente). A vida é um eterno ciclo e tudo que fazemos moldam nosso futuro, ajudam a moldar outras vidas e a estruturar o destino. Somos um punhado de coisas e energias que criam o tudo à nossa volta. Quando escolhemos uma alternativa, não mudamos apenas nossas vidas, mas a de todos que nos cercam. Vidas são constantemente influenciadas e quando deixamos algumas para trás elas tendem a nos deixar também.
Eu deixei uma vida inteira de possibilidades — e muitas vezes me arrependo —, mas é aquela: há males que vêm para bem (ainda esperando por isso). Uma coisa é certa, no fim, relações familiares que eram mínimas, por exemplo, estão sendo lentamente reconstruídas e seladas por algo que pouco tive dessa parte de minha vida: compreensão e amor. E, não posso me negar a dizer isso, estou adorando esse “upgrade”, porque o que antes era quebrado, hoje está sendo restaurado. Ainda há fissuras, sim, nada é perfeito, mas o que alcancei no momento, é muito mais do que tive por muito tempo.
Pensar no que deixamos para trás, nem sempre é uma boa coisa, a gente pode se lamuriar e corroer pelos “e se”, pelo que perdemos, pelo que foi queimado e transformado em cinzas. Entretanto, olhar para o que ficou para trás, também pode servir como algo revigorante, afinal, quantas coisas você aprendeu? Quantas vidas conheceu? Quantos pulos você deu em direção do desconhecido? Quantas vezes se desafiou? Quantas vezes sonhou?

Afinal, você aprendeu com o que ficou para trás?

Se você ainda não me conhece, PARA TUDO AGORA MESMO E SENTA AQUI. Meu nome é Maxon Carter (lindo, inteligente, cheiroso), prazer. Eu so...

Se você ainda não me conhece, PARA TUDO AGORA MESMO E SENTA AQUI.
Meu nome é Maxon Carter (lindo, inteligente, cheiroso), prazer. Eu sou um feiticeiro. Você pode pensar: “Aham, tá bom, senta lá, Cláudia”, mas é verdade. Descobri recentemente ao me mudar para uma cidadezinha no litoral-sul de Santa Catarina por meio de um fantasma — que mora no porão da nova casa. Legal, né? Pois é. Agora, se você quer saber como exatamente tudo isso aconteceu e o que vem depois disso (inclua aqui problemas familiares, amigos problemáticos e uma morte iminente), então você deve pode adquirir o e-book que conta minha história, “psicografada” pelo Elton, na Amazon!
Aproveita, gente, tá custando menos que dois golpinhos!

TÔ POR APENAS R$1,99 E VOCÊ PODE ME COMPRAR CLICANDO NA IMAGEM ABAIXO


Quem prefere livro físico, também pode me adquirir na Amazon.com.br, mas já aviso que daí custarei R$44 golpinhos e mais uns centavos!

Quer saber ainda mais sobre meu mundo? Então não deixe de conhecer quem são os personagens presentes na minha vida e os trinta fatos sobre o livro e eu. E, claro, clicando AQUI você pode conferir a capa e a sinopse!
Espero que vocês me visitem lá em Sombrio. Cromado, meu dragão sagrado/plumado/cheio de personalidade, vai adorar conhecer carne nova. Não que ele vá querer se alimentar de vocês, claro, porque ele prefere vacas. Ele adora vacas.
Enfim, é isso mesmo.

Não contem ao Elton que invadi o blog dele, ok? OK.

(Me nego a desejar um “forte abraço” pra vocês)
Maxon Carter

Você já parou para pensar que personagens também possuem sentimentos? Você já parou para pensar que personagens são criados, em sua maio...

Você já parou para pensar que personagens também possuem sentimentos?
Você já parou para pensar que personagens são criados, em sua maioria, para ter alguma empatia com uma pessoa real, neste caso o leitor?
Você já parou para pensar que, sim, esse personagem em questão pode ter problemas? Afinal, eles são reflexos da realidade, não?
Agora, você já parou para pensar que esses problemas podem ser os mais diversos, incluindo a baixa autoestima, a tristeza, a depressão?

Há algum tempo uma imagem vem circulando pela internet, principalmente em grupos de leitura, que, sinceramente, me incomoda. Não porque ela é vulgar. Simplesmente porque ela traz uma questão que nem todos compreendem: a dor e o sofrimento de quem não se aceita, de quem não se vê com bons olhos. Na imagem há uma garota ruiva de olhos e pele claros, bonita, com uma legenda do tipo: “’Eu não gosto de mim, eu sou feia’. Aí a personagem tem essa aparência”. A questão é: quantas pessoas que são bonitas, dignas de passarela, não se veem com olhos turvados, com uma sombra que os impede de realmente se verem como são?
Eu posso dizer isso — não que eu seja bonitão (minha mãe diria que sou um bom partido), mas o caso é: por minha enorme baixa autoestima, já me senti o pior ser do mundo, já me senti incapaz de fazer coisas que anteriormente tinha tirado de letra. Sem mencionar a depressão — que vai e volta em um loop infinito, como uma montanha-russa — que me traga toda a vontade, toda a cor da vida e me impede de fazer as coisas pelas quais, normalmente, batalho para conquistar. Então quando um personagem se acha feio, se acha incapaz, eu o entendo, porque a questão não é a aparência, ela é apenas a superfície. O que ele/ela sente vai muito além, é profundo, intrínseco no ser humano que só pode ser resolvido com uma boa dose de força de vontade e, muitas vezes, com uma ajudinha extra, que pode surgir dos lugares mais inesperados.
Além do mais, características digitadas em papel ou tela nem sempre são suficientes para determinar o que é bonito ou não. O personagem pode ser um ruivo de olhos azuis brilhantes, alto e com barba bem desenhada, mas não significa que ele é um deus grego; da mesma forma que um “simples” personagem de cabelos desgrenhados e olhos escuros e maltrapilho pode ser a pessoa mais linda da história. Isso dependerá da forma como você, leitor, interpretará a narrativa, de como deseja vê-la em sua mente. Isso é uma questão singular.
Então, se você é uma pessoa de autoestima alta, com o astral nas nuvens, e acabar numa história em que aparentemente uma personagem é linda, porém se acha feia, incapaz, idiota, sozinha em meio a uma multidão, tente enxergar pelo ponto de vista dela. O que ela passou para se sentir desse jeito? Quais são as emoções que possui naquele instante? Afinal, como já mencionado, um personagem tem por uma das principais características criar empatia com o leitor, e, talvez, ler sobre esse tipo de personagem é o que falta para você acreditar que a tristeza é algo que pode afetar todo e qualquer um em diferentes lugares, em diferentes regiões, em diferentes épocas. Esse feeling não é baboseira.
E eu espero, de coração, que mais personagens assim apareçam; não para espalhar dor pelos quatro ventos, mas, principalmente, para mostrar às pessoas que passam por problemas parecidos que continuar lutando, sobrevivendo ao dia a dia, pode trazer alguma recompensa. Afinal, estamos aqui para divar, e ter uma vida sem marcar o mundo com o seu melhor não pode ser considerada uma vida de verdade. Todos temos uma singularidade para deixar registrada no Universo.
Se você tem algum dos problemas citados acima, saiba que você não é o único. Procure alguém de confiança para desabafar ou um profissional; acredite, isso não lhe taxará de louco e pode ser essencial para lhe dar um up — por exemplo, eu passei por uma psicóloga que me fez enfrentar meus medos, traumas e ver o mundo com novos olhos. Apenas não se deixe abater e busque viver intensamente.
Você pode ser tudo aquilo que desejar.

Olá, pessoal! Para quem tem acompanhado minhas histórias ou notícias recentes, sabe que estou postando A Chave para a Salvação no Wattpa...

Olá, pessoal!
Para quem tem acompanhado minhas histórias ou notícias recentes, sabe que estou postando A Chave para a Salvação no Wattpad. Então resolvi trazer algumas curiosidades para quem está acompanhando e para quem pensa em acompanhar ou comprar quando estiver na Amazon. Por isso, chega mais e descubra o que você (ainda) encontrará nesse romance com elementos distópicos, pitadas de romance e recheado de ação!

1)    ACpaS possui 60 capítulos, um epílogo e um extra (lindão e bugante);

2)    Ficará com cerca de 140 mil palavras, o que lhe dará cerca de quatrocentas e poucas páginas em formato de livro;
3)    É continuação de Entre Escolhas e Consequências;
4)    E é o segundo livro da duologia Futuro Renegado;
5)    Originalmente, esse livro não existiria;
6)    Mas daí umas ideias doidas somadas à questão de parca representatividade existente em histórias deram vida a essa possibilidade;
7)   É narrado em primeira pessoa, no tempo presente, por três personagens: Natanael, Mirian e Ranna;
8)    Natanael é homossexual e vocês já conhecem de EEeC;

9)    Mirian é negra e bissexual;

10)  Ranna é uma diva transexual;

11)  Ah, e tem a Irina, que é assexual — e uma assassina treinada (não narradora);

12)  Se passa em 2037, exatos dois anos após o fim de EEeC;
13)  Apesar de ainda manter a luta LGBT, esse não é o foco central da trama;
14)  Entre os plots, teremos uma doença degenerativa e os segredos sobre Os Treze;
15)  Dois personagens dados como mortos, retornam;
16)  Alguns novos ou brevemente citados no livro 1 fazem suas aparições;
17)  Vai ter ligação com outros livros meus? São sutis, porém sim;
18)  Isso é bem doido, na verdade, mas abre novas oportunidades ao enredo e amplia o universo ficcional da duologia. Mas sem estresse, não é necessário ter lido qualquer outra coisa senão o primeiro livro;
19)  “Narlo” (Natanael + Carlo) é o melhor shipp/casal que já escrevi, porque sim;

20)  O livro está sendo postado no Wattpad, mas em breve estará disponível na Amazon em e-Book (e em físico, se Os Treze permitirem).

E aí, curtiram? Têm alguma dúvida? Então deixa aqui nos comentários ou me escreva um e-mail pela aba Contato! Sua participação é extremamente importante para que eu possa levar histórias cada vez melhores para vocês!

Forte abraço,
Elton Moraes

Olha, se tem uma coisa que eu não imaginava era de que A Chave para a Salvação tomaria uma proporção tão grande. Mas a história cresceu l...

Olha, se tem uma coisa que eu não imaginava era de que A Chave para a Salvação tomaria uma proporção tão grande. Mas a história cresceu loucamente e, consequentemente, trouxe muitos novos personagens e acontecimentos. E cá estamos nós para conhecer um pouquinho mais de personagens já tão conhecidos em Entre Escolhas e Consequências, de novos rostinhos e o que está acontecendo também!
Clique nas imagens para ampliá-las!

Os protagonistas

Oi, eu sou Natanael Ferraz, mas acho que você já sabe disso, não? Dois anos se passaram desde a Batalha dos Mil Poderes, como ficou conhecido o ataque contra Brasília, e muita coisa aconteceu desde então. Carlo e eu moramos na Irlanda com os pais dele, Ivan e Jasmim Morris. Apesar disso, de duas em duas semanas vamos para a ilha dos refugiados, no Brasil, onde está montado um complexo que protege e ajuda a comunidade LGBT, que foi fortemente atormentada pelo Novo Governo. Nós somos agentes especiais e, no meu caso, tenho a missão de ajudar nossos pacientes a se reencontrarem através de hipnose.

Olá, caro leitor! Eu sou Mirian Velásquez, e acho que você não faz ideia de quem sou! Desculpa, enquanto o Natanael e a Lya estavam dando uma de rebeldes pelo país à fora, eu estava presa pela Base Nordeste de Estudos Anti-Homossexuais. Mesmo sendo torturada física e psicologicamente, eu me mantive em pé, aguentando o tranco, até ser libertada e me tornar uma Caçadora de Inocentes (Lya odeia esse apelido)! Hoje, vivendo na Ilha do Arco-íris (bem melhor que ilha dos refugiados, convenhamos), sou uma agente especial que deve encontrar outros modificados como eu e tanto outros. Lya é minha parceirona, e somos comumente acompanhadas por outros Caçadores. Quando não tô em missão? Provavelmente você poderá me encontrar no quarto do Eric ou no da Rita.

Meu nome real não é Ranna, mas isso não é importante agora. Fui por muitos anos uma artista que dava um pouco de paz a comunidade LGBT em tempos de crise, até ser presa, como tantos outros. Muita coisa ruim pode ter me acontecido, eu não tenho certeza, mas a pior, presente até hoje em minha vida, é a habilidade que me foi dada pela SEAH. Não basta minhas próprias memórias dolorosas, ainda preciso lidar com lembranças que não são minhas, absorvidas por um simples toque de pele. É difícil para mim entendê-las, principalmente quando me vejo nelas e elas se tornam parte de mim, carregando-me para uma loucura iminente. E, claro, isso não é importante quando sou uma agente especial na busca de suspeitos de espionagem.


Demais personagens







E aí, pessoal, curtiram dessas pequenas apresentações? Então não deixe de acompanhar o segundo livro da duologia Futuro Renegado no Wattpad, a partir do dia 03 DE ABRIL! Para adicioná-lo a sua biblioteca, basta clicar AQUI.

Você sabe pelo que luta?

Forte abraço!
Elton Moraes